10 anos da pavimentação da Avenida Sete de Maio, em Manaus. 10 anos sem os problemas de buracos, lama e poeira. 10 anos de tráfego confortável. Voltar à página principal

Este  ano de 2016 completa 10 anos da conclusão dos trabalhos de pavimentação da Avenida Sete de Maio, no bairro Santa Etelvina, nos arredores de Manaus,  a verde capital do Estado do Amazonas. A avenida para os moradores locais era o maior transtorno: asfalto aplicado sobre a terraplenagem  em solo de baixa resistência e impermeabilidade zero. Os buracos, as poças de lama no inverno e a forte poeira no verão enfernizavam aquele ambiente urbano com desconforto, além das doenças contraídas pela população do bairro.

O Engenheiro Alexandre, "cap" da Construtora Pampulha da Amazônia a cargo de quem estavam os projetos de revitalização daquele populoso bairro da capital baré,  conhecedor da tecnologia de estabilizaação química de solos para fins de pavimentação urbana e rodoviária, decidiu por um fim ao problema e convocou ao seu escritório em Manaus os técnicos do INSTITUTO IDESA AMAZÔNIA para estudar a estabilização da base do pavimento asfáltico que seria aplicado naquele trecho.

Os pavimentos construídos com esta tecnologia não deformam, não racham, os buracos nunca aparecem e a pavimentação não tem prazo de durabilidade. A pavimentação demonstrativa de 2km da pista direita daquela avenida teve uma base forte e impermeável construída com solo quimicamente estabilizado com ECOLOPAVI, e agora, 10 anos depois esta página é para registrar essa vitoriosa obra de engenharia na cidade de Manaus. Veja as fotos do início da obra e no filme maior como está a avenida atualmente (Imagens obtidas em 12 de janeiro de 1016).

 

     
Na construção da base com espessura de 20cm, os estudos de laboratório apontaram como melhor solução para estabilizar o solo e elevar o CBR, a adição de cimento a 2% em relação ao peso do solo (g/cmз), mais o Estabilizante na dosagem de 1: 1.000 ( um kilo de Estabilizante ´para cada 1.000kg de solos ) Resultado:  o CBR saiu de 17,07% para 107,23%., do proctor intermediário. Base forte e impermeável.
Com a base de alta capacidade de suporte e impermeável, a cobertura de asfalto requer somente uma fina camada de asfalto do tipo Areia Asfalto Usinada a Quente (AAUQ), mas poderia ser um microrevestimento, um tratamento superficial etc. E este ano de 2016, com a pista em perfeito estado de conservação estamos todos comemorando seus 10 anos.  Nesta fina camada de asfalto aqui aplicada está a grande economia com a redução do custo final da obra. - Teste de pevimentação é isso, só de pode ver o resultado anos depois.
CBR em solo natural - Clic na imagem para ampliar. CBR em solo Estabilizado - Clic na imagem para ampliar. Observe neste filme, imagens obtidas em 12 de janeiro de 2016, mais de 10 anos depois, o estado, a performance e a integridade da pista de rolamento da Avenida Sete de Maio. A pista do lado direito, escolhida para fazer esta demonstração.
Maqis ionformações sobre esta obra mande um e-mail para  engenharia@idesaamazonia.com.br  - Fones (92) 3347-8339/ (92) 9.8121-8761